Bem-vindo ao meu blogue

PRÉMIO

PRÉMIO
Prémio de Excelência da ANPÓS (Brasil)

SIGA-ME NO FACEBOOK


CIÊNCIA: POR QUE ESTAMOS LIGADOS AO UNIVERSO?


Quando nos olhamos parecemos todos diferentes. E somos, de facto, em pormenores. Não obstante, somos todos iguais mesmo quando uns são mais altos, outros mais gordos, outros mais brancos ou mais negros do que nós, quer habitemos em São Paulo ou façamos parte de uma tribo perdida da Austrália. Todos nos reconhecemos como humanos pois há traços únicos que faz com que o cérebro nos caracterize como tal. É que somos uma única espécie, a do "ser humano".

UM PASSO ATRÁS
Não obstante, se recuarmos na história não mil anos nem dez mil anos ou até cem mil anos, há um momento, bem afastado no tempo, em que estamos muito perto de nos assemelharmos a outros primatas de braços bem mais comprimidos, com o corpo coberto de um emaranhado de pêlos e talvez saltando de árvore em árvore comendo frutos silvestres.

MAIS PARA TRÁS
Se recuarmos mais começaremos a deixar de visualizar traços hominídeos e já não nos reconheceríamos como humanos ou primos muito afastados e primitivos. Continuando a viajar rumo a um tempo ainda mais afastado de hoje vamos perdendo completamente vestígios de qualquer traço primata e, obviamente, muito menos a possibilidade de nos deparamos com animais que, hoje, associamos a nós.

MAIS LONGE AINDA
Saltemos bem longe, mais para trás e paremos num tempo distante de nós cerca de 380 milhões de anos. O que vemos? Animais semelhantes a peixes começando a sair da água, com a respetiva cabeça, olhos, cérebro e com algo parecido com patas. Serão os primeiros animais vertebrados (dotados de esqueleto) e com uma série de mecanismos, como os dos membros superiores, que funcionavam como atualmente.

ATÉ AO PRINCÍPIO DA VIDA
Mas podemos viajar muito mais para trás, mais de 3 mil milhões de anos e encontramos pequenos seres vivos conhecidos como protozoários (que significa "primeiros animais") feitos de um amontoado de células bem desenvolvidas. E se recuarmos mais vamos descobrir outros seres mais pequenos dotados de uma só célula.
A nossa história como seres vivos começa decisivamente aí, mais precisamente há 3,5 mil milhões. O que nos liga a eles? Muita coisa ao nível celular e, por isso, também descendemos deles.
Uma grandiosa aventura que, convém lembrar, é bem mais antiga se quisermos aprofundar o que havia antes dos primeiros microrganismos unicelulares.
Em rigor, descendemos da energia que deu origem à vida e ao nosso universo.

ATÉ ANTES DA MATÉRIA
É por isso que, embora tanto tempo passado, continuamos ligados à energia que provém do universo apesar de tão diferentes sermos das milhões de espécies animais que nos precederam, incluindo répteis e peixes muito antigos (e de quem herdámos estruturas cerebrais onde se processam os instintos e funções básicas de vida - como a regulação da temperatura do corpo - e que um cientista, muito oportunamente, chamou de "cérebro reptiliano").
Estamos pois todos conectados ao mundo vivo, ao mundo animal, ao mundo vegetal e ao passado onde tivemos, algures no tempo, uma "semente de energia" que deu origem a tudo. Estamos já no território do KOSMOS (palavra de origem grega que significa TUDO).

Nelson S Lima